quinta-feira, 7 de abril de 2011

Dúvidas I - Por que os pregadores do evangelho gritam tanto?



Encontrei essa pergunta no Yahoo Respostas*, Por que os pregadores do evangelho gritam tanto? Até ai, uma pergunta normal. Uma dúvida comum. Mas o que me chamou a atenção foi a resposta dada no mesmo site para a mesma:

"São vários os fatores. O principal é a falta de educação. Pessoas ignorantes costumam vencer pela força bruta ou no grito , é assim que eles arrebanham fiéis pra suas religiões e seitas. Eles entendem que quanto maio e mais alto for o apelo mas fácil encontrar admiradores entre tantos que costumam abrir o volume dos seus rádios até o ultimo volume porque tem a sensação que a vizinhança inteira curte o mesmo som que eles curtem .Concluindo tudo se resume em falta de educação e desrespeito ao silêncio e bem estar dos outros (abraços"

O Pregadores do Evangelho vê ai a necessidade de explicar, com base na Palavra de Deus o porquê disso tudo:

 Por que os pregadores do evangelho gritam tanto?

Pra começar, não são essencialmente "gritos", são CLAMORES.
A definição de Clamor pelo dicionário Michaelis (2009) é: Clamor - 1. Ação de Clamar, 2. Súplica proferida em altas vozes; lamentação.

Existem inúmeras referências bíblicas sobre os clamores, abaixo algumas delas estão destacadas abaixo:

 Por isso disseram os filhos de Israel a Samuel: Não cesses de clamar ao SENHOR nosso Deus por nós, para que nos livre da mão dos filisteus. Sm. 7: 8
Sabei, pois, que o SENHOR separou para si aquele que é piedoso; o SENHOR ouvirá quando eu clamar a ele. Sl. 4: 3

Porque aquela é a sua cobertura, e o vestido da sua pele; em que se deitaria? Será pois que, quando clamar a mim, eu o ouvirei, porque sou misericordioso. Ex. 22: 27

Não escondas de mim o teu rosto no dia da minha angústia, inclina para mim os teus ouvidos; no dia em que eu clamar, ouve-me depressa. Sl. 102: 2
   Mas é no Salmo 32: 11 que a Palavra revela o verdadeiro motivo do clamor:

Porque ele livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude.

É através do clamor que as bênçaõs e os milagres são feitos. O Espirito Santo manifesta-se naquele que clama e faz o milagre. Nenhum Pregador do Evangelho faz isso para conquistar fieis, afinal de contas, esse ato mais pode espantar do que atrair fiéis, porém, o espirito santo se derrama sobre aquele que crê e aceita ao Senhor, e, consequentemente o clamor acontece.

Mas então esse "clamor" não é pra causar sensacionalismo?
Existem MILHÕES de igrejas pelo mundo. É provavel que algumas delas pode usar o grito como sensacionalismo, mas ai, o grito é grito, pois só vira clamor quando é inspirado pelo espirito santo. O que não devemos fazer é generalizar, pois a maioria das igrejas clama inspirada ela espirito santo do Senhor.



Dúvidas? Envie-nos um e-mail para pregadoresdoev@gmail.com

 border="0"/ Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!

21 comentários:

Davi disse...

Clamores ou gritos, chame do jeito que quiser, eles continuam sendo uma tremenda falta de respeito e uma afronta a boa vizinhança.

mendigão disse...

Davi. quer sossego?? compra um sitio longe das igrejas pra você.Boa vizinhança? por causa das igrejas as vizinhanças tornam-se más?
brother. na boa... vai se incomodar com questões maiores como condição de vida de um mendigo...

Mister Dj disse...

Engraçado quando é algum bar de cachaceiro, ou coisa parecida, ai tudo bem.

tiano disse...

eu tenho direito ao silencio.
se os pregadores acreditam que precisam "clamar" tudo bem,porem tratem de construir algum tipo de sistema que bloqueie o som e as pessoas tenham a opção de ouvir ou não.

Anônimo disse...

Não vindo "clamar' perto de mim, tudo bem. Mas esse negocio do ganhar os outros no grito tem fundamento.

Dudão disse...

Eu nao vejo referências de Jesus ou dos seus apóstolos ao berros. O Evangelho precisa ser pregado com AMOR, e não com o MEDO. Ao meu ver é isso que se conquista com gritos.
E tomando a vez do Davi, quero responder ao MENDIGÃO: Qualquer organização que exista, seja ela do que for, incluindo as igrejas, precisam respeitar o sossego das pessoas que a rodeiam. Quem se diz Cristão, antes de tudo, precisa ter amor ao próximo, e os vizinhos também são próximos. Não há amor em "afrontar" vizinhos.
E ao autor da postagem: sua fundamentação bíblica não me convenceu. E que fique claro, também sou evangélico.
Graça e Paz a todos.

Fabiana disse...

E tem uns pregadores q além de gritar eles pulam também, eu pego o trem de manhã cedo e sempre tem um pregador aos berros e pulando igual pipoca dentro do trem. Acho q isso não é necessário pois incomoda ainda mais às seis da mannhã

Lilith disse...

Ninguém na Bíblia curou ou ganhou alguma coisa de Deus aos berros, pulos, etc. Se realmente os evangélicos tivessem respeito pelas pessoas e principalmente por Deus, não berrariam tanto e não fariam tantas coisas idiotas.
Duvido alguém chegar na presença de Deus e berrar com Ele pessoalmente.
É falta de educação sim e grande parte do preconceito que os evangélicos sofrem é porque se portam dessa maneira.
Sou evangélica, mas passo bem longe de berros, "clamores", pulos, e o que mais usam hoje em dia para desrespeitar Deus e o próximo.

Luiz disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
paola disse...

SABEM O PORQUE DOS GRITOS??

É JESUS OPERANDO... SÓ QUE ELE NÃO USA ANESTESIA =)

[d*]/a"n# ¹²³i {!+}º disse...

AFF' cara, nao tem nada a ver isso , eu sou evangélica , e por mim , nao me encomoda se alguem dizer que ta alto ou que esta atrapalhando algo !
Pelo o que eu saiba isso é Publico (Y)' , isso é por conta de sua religião ou de outra !

Camila disse...

Dudão, se na época de Jesus não existia som, microfones e etc... E Ele pregava para mais de 5.000 pessoas, como vc acha que Ele fazia, já que vc disse que Ele não gritava?!

jessica disse...

é aquela velha história.. os encomodados que se retirem (y)
agora adorar a Deus virou falta de educação ¬¬ ai ai. melhor ta 'gritando' anunciando o evangelho de Jesus, do que está se prostituindo, e ouvindo musicas obssenas que encomodam muito mais!

Edu disse...

cara apesar de sua fundamentção biblica, ela fica falha, isso porque sua afirmação nao pode ser testada, nem mesmo questionada, assim não possui um carater verdadeiro, mesmo que ela tenha uma inspiração muito boa, ou que inspire as pessoas, então não existe provas que é gritando que se deve pregar.
Portanto respeite quem não quer ser incomodado, isso sim é uma atitude inteligente, e respeitosa para com seu irmão.Pregue mas sempre considerando que seu direito acaba quando começa o do proximo.

rafael disse...

Rafael. Sou da igreja Batista, e esses pastores (que nem Teologia tem)fazem um certo apelo ao gritarem, meus vizinhos e eu estamos tendo problemas com isso porem ja pedi e para os amigos existe uma lei que e das contravenções penais que decreta no Art 42 Pertubação do trabalho ou doi sossego alheio. I com gritaria ou algazarra II excercendo profissão incomoda ou ruidosa III abusando de instrumentos sonoros ou sinais acusticos tem a 4ª. Logo chame a policia que eles sao obrigados a fecharem esses locais.

aaaaaaaa disse...

eu acho interessante as pessoas incomodarem com barulhos das igrejas que estão tirando pessoas das drogas,e todos tipos de vícios,mas quando tem alguma balada ou festa ninguém reclama e olha que as igrejas vao até as 22 duas horas e as baladas amanhecem e muitos jovens entram em brigas e as vezes até se matam. Mas ai o povo não reclama. Porque será?

Felipe Aguirra disse...

Realmente, reconheço que só expliquei o porque dos gritos, mas não discuti a questão "som alto".

Sabemos que, pela lei, o som deve ter limite e que só pode ser emitido até certo horário.
Se está dentro dos padrões, ok. Mas se a igreja está perturbando com som acima do normal, deve ser denunciada.

O que tentei explicar era: porque os evangélicos gritam em suas pregações, e não porque os evangelicos fazem muito barulho a ponto de atrapalhar os vizinhos.

Os que atrapalham devem aprender a respeitar sim.

jose elias Gouvea disse...

Eu sou evangélico a 33 anos, e discordo totalmente do que ele disse. Clamor e uma oração. Mas a mesma bíblia que fala do clamor também fala de entrar no silencio do seu quarto e falar com Deus!
Não gosto dessa gritaria e nem de São alto que faz enlouquecer qualquer um. Deus não é surdo,e não é com Gritos que vou cinvence-lo das minhas necessidades. Acho falta de maturidade espiritual!

Leonardo disse...

A Palavra de Deus é tão clara quanto ao avivamento do Senhor. O avivamento não se caracteriza por aberrações, gritos, milagres, mudanças litúrgicas e etc....
Avivamento é muito mais que isso! O verdadeiro avivamento é provocado pela Palavra de Deus e resulta na mudança de conduta da pessoa avivada. Tudo em sua vida se faz novo, todas as áreas de sua vida são afetadas e tão logo essa pessoa passa a desenvolver os frutos do Espírito. (Gálatas 5.22-23)

Notemos que os frutos do Espírito Santo são: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. (Observe esses dois últimos frutos). Uma pessoa cheia do Espírito é mansa e possui domínio próprio sobre si, ou seja, não age por impulsos, por emoções, menos ainda por sensações e tem seu temperamento controlado pelo Espírito do Senhor.

E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
Mateus 6:5

Interessante essa “Teologia do Barulho” desenvolvida por algumas religiões que se dizem evangélica. Eles dizem, “quem não faz barulho está com defeito de fabricação”. Não sei qual a finalidade dessa frase, mas uma coisa é certa: Deus é não surdo!

Deus não é surdo e muito pelo contrário a sua Palavra diz que Ele conhece todos os nossos pensamentos, nossos intentos e nosso coração (Salmos 139), sendo assim não haveria necessidade de “berrar” ao ouvido de Deus, pois o Senhor não procura gritos e sim verdadeiros adoradores que é adorem em Espírito e em Verdade (João 4.24)

Uma coisa é certa essa Teologia do Barulho nada mais é que puro misticismo criado por “cristãos” que não conhecem a Deus e tão pouco a sua Palavra. Chamamos de misticismo o conjunto de normas e práticas que tem por objetivo alcançar uma comunhão direta com Deus. O problema é que quase sempre, os místicos são induzidos a prescindir da Bíblia e se basear apenas em suas experiências.

Efetuando uma exegese do derramamento do Espírito Santo em Atos 2, verifica-se uma ordem e que os sons estavam legíveis ao público em geral. Disse o médico e historiador Lucas: “E correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa, porque cada um ouvia falar na sua própria língua”(AT 2.6)

Lucas destaca que ouve entendimento do que os discípulos de Cristo falavam, por parte dos viajantes que estavam em Jerusalém: “Todos os temos ouvido em nossas própria línguas falar das grandezas de Deus”(v.11). O versículo 13 diz que alguns zombaram do acontecimento, alegando que os discípulos estavam bêbados, isso significa que houve um barulho inelegível?

O versículo 13 indica que alguns não entenderam o agir do Espírito Santo, mas isso não significa um barulho rock-roll, verificado em muitas reuniões desenvolvida por algumas religiões que se dizem evangélica., que mais se assemelham ao Maracanã em dia de clássico do que um genuíno culto cristão.

Paulo nos alerta em 1 Cor 14.23:”Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas estranhas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão, porventura que estais loucos?

Paulo demonstra uma preocupação em todo o capítulo 14, que deve haver uma ordem na línguas e profecias no culto, a fim de que todos sejam edificados.

(1Co 14;5) E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação.

Não podemos negar que a presença do Espírito Santo em nossas vidas abala nossa estrutura corporal. Não posso negar que muitas vezes me exalto quando estou pregando a Palavra do Senhor, entretanto tenho a convicção que Deus não olha a aparência e sim o coração do homem (1 Samuel 16.7)

Deixemos de lado as loucuras dos homens e tentemos compreender a loucura de Deus que é a sua Palavra. (1 Cor 1.21).
http://missionariodejesus.comunidades.net/

Leonardo disse...

A Palavra de Deus é tão clara quanto ao avivamento do Senhor. O avivamento não se caracteriza por aberrações, gritos, milagres, mudanças litúrgicas e etc....
Avivamento é muito mais que isso! O verdadeiro avivamento é provocado pela Palavra de Deus e resulta na mudança de conduta da pessoa avivada. Tudo em sua vida se faz novo, todas as áreas de sua vida são afetadas e tão logo essa pessoa passa a desenvolver os frutos do Espírito. (Gálatas 5.22-23)

Notemos que os frutos do Espírito Santo são: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. (Observe esses dois últimos frutos). Uma pessoa cheia do Espírito é mansa e possui domínio próprio sobre si, ou seja, não age por impulsos, por emoções, menos ainda por sensações e tem seu temperamento controlado pelo Espírito do Senhor.

E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
Mateus 6:5

Interessante essa “Teologia do Barulho” desenvolvida por algumas religiões que se dizem evangélica. Eles dizem, “quem não faz barulho está com defeito de fabricação”. Não sei qual a finalidade dessa frase, mas uma coisa é certa: Deus é não surdo!

Deus não é surdo e muito pelo contrário a sua Palavra diz que Ele conhece todos os nossos pensamentos, nossos intentos e nosso coração (Salmos 139), sendo assim não haveria necessidade de “berrar” ao ouvido de Deus, pois o Senhor não procura gritos e sim verdadeiros adoradores que é adorem em Espírito e em Verdade (João 4.24)

Uma coisa é certa essa Teologia do Barulho nada mais é que puro misticismo criado por “cristãos” que não conhecem a Deus e tão pouco a sua Palavra. Chamamos de misticismo o conjunto de normas e práticas que tem por objetivo alcançar uma comunhão direta com Deus. O problema é que quase sempre, os místicos são induzidos a prescindir da Bíblia e se basear apenas em suas experiências.

Efetuando uma exegese do derramamento do Espírito Santo em Atos 2, verifica-se uma ordem e que os sons estavam legíveis ao público em geral. Disse o médico e historiador Lucas: “E correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa, porque cada um ouvia falar na sua própria língua”(AT 2.6)

Lucas destaca que ouve entendimento do que os discípulos de Cristo falavam, por parte dos viajantes que estavam em Jerusalém: “Todos os temos ouvido em nossas própria línguas falar das grandezas de Deus”(v.11). O versículo 13 diz que alguns zombaram do acontecimento, alegando que os discípulos estavam bêbados, isso significa que houve um barulho inelegível?

O versículo 13 indica que alguns não entenderam o agir do Espírito Santo, mas isso não significa um barulho rock-roll, verificado em muitas reuniões desenvolvida por algumas religiões que se dizem evangélica., que mais se assemelham ao Maracanã em dia de clássico do que um genuíno culto cristão.

Paulo nos alerta em 1 Cor 14.23:”Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas estranhas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão, porventura que estais loucos?

Paulo demonstra uma preocupação em todo o capítulo 14, que deve haver uma ordem na línguas e profecias no culto, a fim de que todos sejam edificados.

(1Co 14;5) E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação.

Não podemos negar que a presença do Espírito Santo em nossas vidas abala nossa estrutura corporal. Não posso negar que muitas vezes me exalto quando estou pregando a Palavra do Senhor, entretanto tenho a convicção que Deus não olha a aparência e sim o coração do homem (1 Samuel 16.7)

Deixemos de lado as loucuras dos homens e tentemos compreender a loucura de Deus que é a sua Palavra. (1 Cor 1.21).
http://missionariodejesus.comunidades.net/

Tali Hyuna disse...

Eu penso que oq realmente falta para quem lê e se diz seguidor dos princípios bíblicos é INTELIGÊNCIA! A vaidade do homem o cega!

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...