segunda-feira, 30 de abril de 2012

Os fariseus de hoje


Os Fariseus, na época de Jesus eram as pessoas que frequentavam as sinagogas. Eram conhecidos pelo seu grande conhecimento da Lei, por suas belas palavras, pelas orações feitas em praça pública e por sua autoridade para com outras pessoas. Eram eles que, normalmente, condenavam os pecadores segundo à Lei de Moisés.

Quando Jesus começou o seu ministério, Seu principal alvo de repreensão eram os Fariseus.
Por diversas vezes, Jesus os alertou dizendo "Ai de vós, Fariseus!" por conta da visão hipócrita dos mesmos e da má tradução da Lei.

Os Fariseus de hoje são os religiosos.

Você é um religioso?
Responda essa pergunta: Beber é correto aos olhos de Deus? Sim ou não?

"Pois veio João Batista, não comendo pão, nem bebendo vinho, e dizeis: Tem demônio! Veio o Filho do Homem, comendo e bebendo, e dizeis: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores!" Lucas 7:33-34
Foi Jesus quem disse a frase acima. Ele condena os Fariseus por causa da religiosidade. - João Batista, que comia mel e ervas do campo era chamado de endemoniado, Jesus, que bebia, foi chamado, em outras palavras, de bêbado. - E hoje, essa história se repete.

É claro que existem pessoas que têm problemas com a bebida, por causa do excesso, mas, por causa do descontrole, os religiosos passaram a julgar os que bebiam para que isso se tonasse repugnante diante dos cristãos.

Quando alguém bebe a ponto de perder o controle, está pecando, pois quando não têm consciência do que faz, não pode usar uma fé inteligente, ou seja, o diabo têm o controle dela. Mas se ela passa a beber às vezes, pouco, até por questão de saúde (é comprovado que o álcool filtra o sangue) estaria ele errado?

"A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, porque o que faz não provém de fé; e tudo o que não provém de fé é pecado." Romanos 14:22-23
O que leva um religioso a ser assim?
O julgamento alheio.
A Lei de Moisés veio para controlar o povo no deserto. Com a chegada à terra prometida, essa Lei passou a ser um auto-julgamento e para resolver casos extremos. Mas os Fariseus tomaram posse de palavras e foram alimentando dentro de si mesmos um orgulho, jogando fardos pesados sobre o povo e não julgando à eles mesmos.

"O homem bom do bom tesouro do coração tira o bem, e o mau do mau tesouro tira o mal; porque a boca fala do que está cheio o coração." Lucas 6:45
Reveja seus conceitos e liberte-se dessa mentalidade religiosa, pois você pode ser um Fariseu e ainda nem se deu conta.

Na fé.

Dúvidas? Envie-nos um e-mail para pregadoresdoev@gmail.com

5 comentários:

alexsandro santos disse...

irmao pelo que entendi, voce, abençoado,com esta sua ideia e mais usando a Biblia,quer dizer que DEUS e conivente com bebidas alcoolicas?reveja os seus aprendizado abençoado pois voce esta falando falsamente utilizando a Biblia fora do contexto,que DEUS te abençoe e que voce leia e tente enteder a Biblia.

Felipe Aguirra disse...

Como eu tentei dizer no comentário acima, Deus não concorda com a EMBRIAGUEZ, pois tudo que tira o ser humano da sobriedade é pecado... Mas quero dizer que as pessoas fixam suas mentes em dizer que a embriaguez é simplesmente o ato de beber.

Muitas são as pessoas hoje em dia que estão embriagadas pela religiosidade... simplesmente convencidas do que escutam ou leem, mas não refletem no que leram.

Jesus bebia, mas moderadamente, pois andava em constante sobriedade. Eu particularmente não bebo nem recomendo que isso seja feito... Mas condenar uma pessoa ao inferno por beber um ou outro gole de vinho, por exemplo, é extrema religiosidade.

Damar disse...

Concordo com Felipe quando diz que condenar por um gole é religiosidade. Porém, o vinho era algo cultural em Israel e Jesus, de fato bebia este vinho.No Brasil, no entanto, o vinho faz parte do 'menu' de bebidas alcoólicas. Se você diz para alguém que não há problema em beber vinho, a tal pessoa, automaticamente vai compreender que pode beber de tudo. E vamos concordar que há bebidas que alteram o estado de consciência com uma única dose. Em dezesseis anos que estou no Evangelho, ouvi alguns irmãos utilizarem o argumento 'beber pode, o que não pode é se embriagar'. Esses mesmos irmãos se embriagam. Se você tomar vinho numa festa entre familiares não cristãos, por exemplo, vão insistir para que tome todo o resto. Condenar ao inferno, realmente é farisaísmo, mas não há a mínima necessidade de incentivar o consumo, principalmente no Brasil, onde essas bebidas caminham junto com carnaval, prostituição etc.

Jéssica Ramalho disse...

Veja o tipo de vinho como era, o que Jesus bebia era sem fermento, vinho novo no odre novo😁

Cris Martins disse...

Pois é.. O vinho que Jesus bebia não era como o de hoje. Eu vejo dois pontos perfeitamente conexos. A bíblia diz que o vinho é escarnecedor, assim sendo, faz parte das coisas que me são lícitas MAS não me convém. Se a Palavra diz para não se desviar nem para a esquerda, nem para a direita e, sabemos, a bebida é um desvio e atalho muito perigoso, então devemos evitá-lo, como tudo o que nos afasta do caminho de Deus. Seria como ir a uma boate e dizer:"só pq eu vou não significa que vou fazer o que fazem ali". Melhor é se fiar em Deus do que em si mesmo pois a carne é fraca e o diabo ronda, esperando uma brecha, pequena como o furo de uma agulha, para entrar e destruir. Dizer "Jesus bebia" é um argumento fraco. Jesus é Jesus. Nunca se entregaria ao vício ou à tentação, ainda que estivesse entre pecadores. Somos mortais, de carne fraca e, mesmo assim, Ele nos chamou à santidade. Que maneira há de chegar à santidade, senão nos apartando do que nos faz cair?
A Paz.

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...